Pastor Marco

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

A gratidão

A gratidão é um aspecto básico da vida judaica. Devemos sentir e expressar gratidão às pessoas à nossa volta e também sentir e expressar gratidão a D'us.

Um importante aspecto desta gratidão especial é a recitação da “Benção de Graças” (Bircat Hamazon) depois de comermos pão. É um evento importante, seja em um grande banquete, em uma refeição com a família ou simplesmente quando alguém come um sanduíche na hora do almoço.

A recitação da “Benção de Graças” expressa a ideia de que nós dependemos de D'us para todo detalhes em nossas vidas e nós somos gratos a Ele por cuidar de nós a cada passo. Nós precisamos de D'us para nossa existência em todo momento, pelo ar que nós respiramos e pelos alimentos que comemos.

A noção de que nós devemos recitar esta oração vem de um versículo na Torá. “Tu deves comer e te satisfazer e abençoar a D'us pela boa terra que Ele te deu” (Devarim 8:10). Os Sábios comentam que o significado literal disto indica que nos foi ordenado abençoar a D'us somente se tivermos comido o suficiente para nos “satisfazer”.

Entretanto, os Sábios introduzem a ideia de que nós devemos recitar a “Bênção de Graças” mesmo se não estivermos totalmente saciados, desde que tenhamos ingerido uma quantidade mínima de pão (uma porção do tamanho de uma azeitona, considerada como equivalente a cerca de 30 gramas).Essa oração tem quatro parágrafos.

- O primeiro diz respeito ao fato de que D'us provê alimentos para todo o mundo: ele foi composto por Moshê. O Povo Judeu que vagava pelo deserto o recitava depois de comer o maná que caía dos céus.
- Quarenta anos depois de terem entrado na Terra Prometida, Yehoshua escreveu o segundo parágrafo, que inicia agradecendo a D'us pela sagrada Terra de Israel. Este parágrafo também agradece a D'us pelo Pacto da Circuncisão, pelo Êxodo do Egito e pela Torá.

- O terceiro parágrafo, composto pelos reis David e Shlomo, se refere à sagrada cidade de Jerusalém. Ele também fala da linhagem davídica de reis e do Templo. Este parágrafo termina com um pedido a D'us para que reconstrua a sagrada cidade de Jerusalém com a vinda de Mashiach.

O parágrafo final da “Benção de Graças” foi composto pelos Sábios cerca de 1870 anos atrás. Ele é uma expressão geral da gratidão a D'us: Ele é “o Rei que é bom e faz o bem a todos”.

De fato, este último parágrafo foi escrito após a terrível tragédia do fracasso da revolta judaica contra os romanos no ano de 135 da era comum. Um enorme número de judeus foi massacrado. O louvor a D'us pode ser visto como gratidão por termos sobrevivido para trazer o Judaísmo vivo à próxima geração. Nesta última seção, nós também agradecemos nossos anfitriões e nossos pais e novamente pedimos a D'us para enviar o profeta Elyiahu que anunciará a chegada de Mashiach.

Parágrafos e sentenças adicionais, ou uma pequena modificação das palavras, provêem reconhecimento pelos dias especiais como o Shabat, a Lua Nova e as festividades.

A “Benção de Graças” não somente agradece a D'us por suprir nossas necessidades básicas; ela também é parte integral de nossas vidas como judeus, expressando todo o curso da História Judaica, com suas alegrias, tragédias e esperança. Recitá-la ou cantá-la nos une aos milhares de anos de vida do Povo Judeu e também oferece uma preciosa oportunidade de falarmos diretamente com D'us.

Suportando as diferenças.

No filme “amor em jogo” conta a historia de um professor de matemática que se apaixona por uma contadora e ela por ele, o relacionamento cresce a cada encontro e eles estão cada vez mais apaixonados um pelo outro. Ate que começa a temporada de beisebol e o professor se transforma, ele é apaixonado pelo Boston red sox tem duas cadeiras cativas no estádio do time herdado pelo tio
 falecido. Então começa a temporada começam os problemas do casal, ele não quer abrir mão de sua paixão pelos red sox e acha que é possível dividir o seu amor com o time e a namorada, ela por gostar tanto dele aceita um amor dividido e ate frequenta alguns jogos no estádio, mas eles não suportam as diferenças e o relacionamento entra em crise.

Muitos casais estão assim não conseguem mais estar juntos ou entram em uma crise que parece ser eterna, porque cada um quer a sua própria vontade para o relacionamento, não se pensa no outro, mas só em si em seus próprios desejos ou gostos, o a dois começa se torna o eu.

O que fazer para onde ir quando o relacionamento chega a este ponto, não tem mais jeito? É a pergunta que muitos fazem a resposta é: Sim tem jeito. E a solução vem da bíblia “o amor tudo sede, tudo suporta, tudo espera...”.

O filme termina com uma lição muito interessante ele descobre que ama muito a moça e então resolve vender as cadeiras cativas para outra pessoa, ela descobre o que ele vai fazer e corre chegando antes dele vender as cadeiras cativas, quando ele a vê ele diz _estou vendendo por te amar muito. Ela responde _ Por eu te amar mais quero que não venda.
A solução das diferenças no relacionamento é aprender ceder ao máximo possível para o seu parceiro, suportar as diferenças, entender os defeitos escolher amar o seu amor com a escolha de fazê-lo feliz para que vocês possam ser felizes juntos.

Deus abençoe.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Yehuda, o quarto filho de Jacob e Leah

1565-1466 AEC
Yehuda, o quarto filho de Jacob e Leah, nasceu em Charan a 15 de Sivan do ano 2196 da Criação (1565 AEC). Faleceu na mesma data 119 anos depois, no Egito.
Yehuda assumiu a liderança tanto na venda de Yossef à escravidão como nas tentativas posteriores de seus irmãos para encontrá-lo e libertá-lo, e para proteger Beniamin. Em seu leito de morte, Jacob entregou a liderança de Israel a Judah, proclamando: “O cetro não se afastará de Yehuda, nem o legislador de entre seus pés, até Shiloh (o Mashiach) chegar…” A casa real de David, bem como muitos dos grandes sábios e líderes de Israel no decorrer das gerações da história judaica, traçam sua linhagem a Yehuda.
Yehuda teve cinco filhos: Er e Onan, que morreram sem filhos; Shelah; e seus gêmeos de Tamar, Peretz e Zerach. Seus descendentes formam a Tribo de Yehuda, a mais populosa e mais prestigiosa das doze tribos de Israel.
 Após a morte do Rei Shelomô em 797 AEC, o povo de Israel se dividiu em dois reinos: dez tribos formaram o Reino de Israel ao norte, com Shomrom (Samaria) como capital; somente as tribos de Judah e Benjamin continuaram leais ao filho de Shelomô, Rechavam, e formaram o Reino da Judeia ao sul, nas áreas ao redor da capital Jerusalém.
Com o tempo, o Reino Norte foi conquistado por Assaria e as dez tribos que viviam ali foram exiladas e perdidas para o povo judeu; os habitantes da Judeia também foram exilados (para a Babilônia) mas subsequentemente retornaram à Terra santa e reconstruíram Jerusalém e o Templo Sagrado. No decorrer do tempo os termos “Judeia” e “Judeu” – que originalmente se referiam a um membro da tribo de Yehuda – tornou-se sinônimo de “Israelita” e era usado para referir-se aos descendentes de todos os doze filhos de Yaacov – i.e., o povo judeu.

quarta-feira, 1 de março de 2017

QUAIS SÃO OS NOMES DE DEUS E SEUS SIGNIFICADOS

Resposta: Cada um dos muitos nomes de Deus descreve um aspecto diferente do seu caráter multifacetado. Aqui estão alguns dos nomes mais conhecidos de Deus na Bíblia: 



EL, ELOAH: Deus "poderoso, forte, proeminente" (Gênesis 7:1, Isaías 9:6) - etimologicamente, El parece significar "poder", como em "Tenho o poder para prejudicá-los" (Gênesis 31:29). El é associado com outras qualidades, tais como integridade (Números 23:19), zelo (Deuteronômio 5:9) e compaixão (Neemias 9:31), mas a raiz original de ‘poder’ continua. 







ELOHIM: Deus "Criador, Poderoso e Forte" (Gênesis 17:7; Jeremias 31:33) - a forma plural de Eloah, a qual acomoda a doutrina da Trindade. Da primeira frase da Bíblia, a natureza superlativa do poder de Deus é evidente quando Deus (Elohim) fala para que o mundo exista (Gênesis 1:1). 


EL SHADDAI: "Deus Todo-Poderoso", "O Poderoso de Jacó" (Gênesis 49:24; Salmo 132:2,5) - fala do poder supremo de Deus sobre todos. 

ADONAI: "Senhor" (Gênesis 15:2; Juízes 6:15) - usado no lugar de YHWH, o qual os judeus achavam ser sagrado demais para ser pronunciado por homens pecadores. No Antigo Testamento, YHWH é mais utilizado em tratamentos de Deus com o Seu povo, enquanto que Adonai é mais utilizado quando Ele lida com os gentios. 

YHWH / YAHWEH / JEOVÁ: "SENHOR" (Deuteronômio 6:4, Daniel 9:14) - a rigor, o único nome próprio para Deus. Traduzido nas bíblias em português como "SENHOR" (com letras maiúsculas) para distingui-lo de Adonai, "Senhor". A revelação do nome é primeiramente dada a Moisés "Eu sou quem eu sou" (Êxodo 3:14). Este nome especifica um imediatismo, uma presença. Yahweh está presente, acessível, perto dos que o invocam por livramento (Salmo 107:13), perdão (Salmo 25:11) e orientação (Salmo 31:3). 

JEOVÁ-JIRÉ: "O Senhor proverá" (Gênesis 22:14) - o nome utilizado por Abraão quando Deus proveu o carneiro para ser sacrificado no lugar de Isaque. 

JEOVÁ-RAFA: "O Senhor que sara" (Êxodo 15:26) - "Eu sou o Senhor que te sara", tanto em corpo e alma. No corpo, através da preservação e da cura de doenças, e na alma, pelo perdão de iniquidades. 

JEOVÁ-NISSI: "O Senhor é minha bandeira" (Êxodo 17:15), onde por bandeira entende-se um lugar de reunião antes de uma batalha. Esse nome comemora a vitória sobre os amalequitas no deserto em Êxodo 17. 

JEOVÁ-MAKADESH: "O Senhor que santifica, torna santo" (Levítico 20:8, Ezequiel 37:28) - Deus deixa claro que apenas Ele, e não a lei, pode purificar o Seu povo e fazê-los santos. 

JEOVÁ-SHALOM: "O Senhor nossa paz" (Juízes 6:24) - o nome dado por Gideão ao altar que ele construiu após o Anjo do Senhor ter-lhe assegurado de que não morreria como achava que morreria depois de vê-lO. 

JEOVÁ-ELOIM: "Senhor Deus" (Gênesis 2:4, Salmo 59:5) - uma combinação do singular nome YHWH e o nome genérico "Senhor", significando que Ele é o Senhor dos senhores. 

JEOVÁ-TSIDIKENU: "O Senhor nossa justiça" (Jeremias 33:16) - Tal como acontece com Jeová-Makadesh, só Deus proporciona a justiça para o homem, em última instância, na pessoa de Seu Filho, Jesus Cristo, o qual tornou-se pecado por nós "para que nele fôssemos feitos justiça de Deus" (2 Coríntios 5:21). 

JEOVÁ-ROHI: "O Senhor nosso Pastor" (Salmo 23:1) - Depois de Davi ponderar sobre seu relacionamento como um pastor de ovelhas, ele percebeu que era exatamente a mesma relação de Deus com ele, e assim declara: "Yahweh-Rohi é o meu Pastor. Nada me faltará" (Salmo 23:1). 

JEOVÁ-SHAMMAH: "O Senhor está ali" (Ezequiel 48:35) - o nome atribuído a Jerusalém e ao templo lá, indicando que o outrora partida glória do Senhor (Ezequiel 8-11) havia retornado (Ezequiel 44:1-4). 

JEOVÁ-SABAOTH: "O Senhor dos Exércitos" (Isaías 1:24, Salmos 46:7) - Exércitos significa "hordas", tanto dos anjos quanto dos homens. Ele é o Senhor dos exércitos dos céus e dos habitantes da terra, dos judeus e gentios, dos ricos e pobres, mestres e escravos. O nome expressa a majestade, poder e autoridade de Deus e mostra que Ele é capaz de realizar o que determina a fazer. 

EL ELIOM: "Altíssimo" (Deuteronômio 26:19) - derivado da raiz hebraica para "subir" ou "ascender", então a implicação refere-se a algo que é muito alto. El Elyon denota a exaltação e fala de um direito absoluto ao senhorio. 

EL ROI: "Deus que vê" (Gênesis 16:13) - o nome atribuído a Deus por Agar, sozinha e desesperada no deserto depois de ter sido expulsa por Sara (Gênesis 16:1-14). Quando Agar encontrou o Anjo do Senhor, ela percebeu que tinha visto o próprio Deus numa teofania. Ela também percebeu que El Roi a viu em sua angústia e testemunhou ser um Deus que vive e vê tudo. 

EL-OLAM: "Deus eterno" (Salmo 90:1-3) - A natureza de Deus não tem princípio, fim e nem quaisquer limitações de tempo. Deus contém dentro de Si mesmo a causa do próprio tempo. "De eternidade a eternidade, tu és Deus." 

EL-GIBOR: "Deus Poderoso" (Isaías 9:6) - o nome que descreve o Messias, Jesus Cristo, nesta porção profética de Isaías. Como um guerreiro forte e poderoso, o Messias, o Deus Forte, vai realizar a destruição dos inimigos de Deus e governar com cetro de ferro (Apocalipse 19:15). 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

TRÊS MANEIRAS DE FAZER A OBRA DE DEUS!

1º ; INDO E FAZENDO.
2º; ORANDO PELOS QUE FAZEM.
3º; INVESTINDO EM QUEM FAZ

VOCÊ PODE SER UM ABENÇOADO,
               COMO PODE SER UM
                             ABENÇOADOR!


CLIQUE NO LINQUE E SAIBA COMO


 http://historiasbiblicasinfantis.gq/  .

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

A CAÇA AOs PROFETAS

     Hoje dia 21 de Dezembro de 2016  escrevo este texto afim de que lágrimas possam escorrer em meu rosto e alcançar os céus!  Vivemos dias que nunca imaginei que eu e alguns outros viveriam.   ser
caçado por ter honra e possuir a presença verdadeira de D"us!
Seria possível estarmos vivendo neste século novamente os dias dos profetas que foram perseguidos?  Em pleno século 21 depois de mais de 1000 anos acreditava que o homem havia evoluído, ou crescido intelectualmente, mas a cada momento passo acreditar que não houve evolução, o ser humano não aprendeu a escutar, A Seu criador, muito menos consegue vê-lo.  E claro que estamos vivendo dias difíceis e a procura por soluções e respostas são constantes, mas será que estão esperando um anjo com suas asas abertas posarem em sua frente? ou até mesmo O Próprio D"us com seus cabelos
brancos, olhos de fogo e com uma espada saindo de Sua boca?  
Claro que não, mas porque não conseguimos ver ( enxergar ) que D"us tem ainda seus profetas nesta terra. Esta é a palavra que encontramos no evangelho segundo Lucas 11:47,48 Ai de vós que edificais os sepulcros dos profetas, e vossos pais os mataram.
Bem testificais, pois, que consentis nas obras de vossos pais; porque eles os mataram, e vós edificais os seus sepulcros.
Não só continuaram sem ouvir e nem verão ha D"us mas também não precisaram preocupar com seus túmulos, por que o próprio D"us vai tratar disto. Quero chamar a atenção de você que esta lendo, este texto, aonde que precisamos ver as certidões negativas os nadas contas, dos profetas?  Aonde esta o povo que tem clamado e não consegue ver nada, só conseguem ver o que eles escondem de si mesmo, enxergam maldade e corrupção e muita inveja, finge ter o que não tem e cobiçam e procuram destruir os que D"us sustenta. Mas ai de vós, fariseus, que dizimais a hortelã, e a arruda, e toda a hortaliça, e desprezais o juízo e o amor de Deus. Importava fazer estas coisas, e não deixar
as outras.
Ai de vós, fariseus, que amais os primeiros assentos nas sinagogas, e as saudações nas praças. Lucas 11:42,43, Não adianta dar ofertas dízimos, nem mesmo ir a igreja, nem falar em público, se não enxergam nada, vivem de ilusão. Mas vòs sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;1 Pedro 2:9 Esta e a visão de D"us para esta geração, então vamos defender nossos profetas, vamos honrar nossos profetas, porque eles falam pela boca de D"us, Aquele que anda na Luz faz a vontade da Luz, e pelo que sei a Luz não acusa nem expulsa nem mata, ela AMA, a ponto de dar Sua propiá vida por nós. Vamos mudar esta Historia. Chega ! E Hora de D"us para nós. Se você conseguiu ler ate aqui, então medite em suas atitudes, não deixe seu coração se inflamar contra homens de D"us, porque o que se deixa envolver com coisas podres se apodrece. Não vivamos os dias do profeta Jeremias e levantar a ira de D"us. Jeremias 13:8-10 Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Assim diz o Senhor: Do mesmo modo farei apodrecer a soberba de Judá, e a muita soberba de Jerusalém.
Este povo maligno, que recusa ouvir as minhas palavras, que caminha segundo a dureza do seu coração, e anda após deuses alheios, para servi-los, e inclinar-se diante deles, será tal como este cinto, que para nada presta. Seria isto que esta acontecendo com nossa nação?
D"us tenha misericórdia de nosso povo!

terça-feira, 13 de dezembro de 2016